Redes sociais:
  • facebook
  • instagram
  • youtube

Colunas e Novidades

Voltar para a lista

Boliche feito com garrafas PET

  • 26.11.2013
  • Jogos e brincadeiras
  • Por Kellen Gondo

Como surgiu a idéia?

Queria algo que entretesse meu filho, que o estimulasse a compreensão de ação e reação dos objetos, que exigisse esforço da coordenação motora dele e que fosse algo que ele gostasse. Eu havia lido numa dessas newsletters que assinei, que era um boa fase para estimular tudo isso e o boliche era uma sugestão de brinquedo.
Comecei a procurar nas lojas online, não gostei dos que vi nas lojas físicas, pesquisei e achava caro para o que eram.
Na época, ele estava com um ano e um mês de idade, conforme procurava na internet, achei muitas coisas feitas e pensei comigo: por que não fazer???
Decidi fazer, eu mesma, o jogo do boliche para meu filho.

[Fonte]

Lá fui eu pedir garrafas PET para as pessoas (aqui em casa não consumimos refrigerante), eu precisava de 6 (é a mesma quantidade que vendem nos kits de boliche). Pesquisei na internet (por templates, character, Sesame), eu estava decidida que fosse da Vila Sésamo, pois sempre acostumamos nosso filho com eles (livros, brinquedos e na TV - se me perguntar o porquê, terei que escrever outro artigo a respeito! Entre tantos motivos, é que além de educativo, estimulamos o uso da língua inglesa em casa e amamos os personagens). Eis que achei as seguintes figuras:



Achei perfeitas, pois são só os contornos e estava bem definidos.
Imprimi os rostinhos dos personagens em preto e branco (calculei a configurei para que ficassem num tamanho adequado para colar no lugar do rótulo da garrafa, fui fazendo testes (imprimindo) até conseguir o tamanho que queria.
Depois recortei cada parte dos rostos (nariz, olhos e bocas), alguns eu pintei de acordo com o desenho real, alguns eu colei papel colorido, por exemplo na boca, nariz), fui seguindo as características e cores dos personagens. Eu poderia ter impresso colorido (seria mais prático), mas não dispunha de cartuchos coloridos e estava disposta a fazer tudo isso e logo.
Comprei folhas de sulfite coloridas, eu tinha algumas folhas ColorSet… A sorte foi que deu certo, cada um dos personagens tem sua cor, sua carinha e sua característica corporal. Tentei seguir ao máximo, pois ficaria mais fácil do meu filho identificar e quem sabe, gostar!
Cortei as folhas coloridas (que usei de fundo para colar os rostinhos) com 8,5cm de altura (exatamente o tamanho que cabe no lugar do rótulo da garrafa de Coca-cola de 2 litros). E mantive o cumprimento da folha como veio, o mesmo da folha de sulfite. Aproveitei e fiz a parte de baixo cortada com tesoura com formato de ondas, só por capricho. Depois colei as carinhas prontas nessas folhas e ficaram assim:

Resolvi cobrir as carinhas com papel contact, pois meu filho sempre adorou rasgar papel e não queria que isso acontecesse com esse brinquedo!!!
Cortei contact com 9,5cm de altura (um centrímetro a mais que a folha) e uns 30cm de cumprimento, para ter certeza que cobriria tudo e seguraria. Colei o papel contact em todas as folhas e colei nas garrafas com fita dupla face (pois eu sabia que se colasse com cola branca, ao amassar as garrafas, certamente meu filho as descolaria!) Passei uma fita dupla face inteira na parte superior e na inferior de cada folha (de fundo) e coloquei com cuidado nas garrafas (devidamente lavadas, secas, tampadas e sem rótulos).
Resolvi ousar, aproveitei uma garrafa de Guaraná (verde) para fazer o personagem Oscar (que é verde) e a garrafa de Coca-Cola de 2,5litros para fazer o Cookie Monster (que é bem grandão e também para diferenciar do personagem Grover, que acabaram ficando com a mesma cor de fundo por falta de folha com outro tom de azul).

Eis como ficou o boliche:



Não comprei bola, pois isso não falta em casa de menino!

Fiz a surpresa de deixar o boliche montado na sala para meu filho ver no dia seguinte, quando acordasse.

Ele adorou, sempre gostou muito de brinquedos que fazem barulho, reconheceu os personagens nas garrafas e carregava o favorito (Elmo) pela casa nos primeiros dias. No inicio demorou para entender a brincadeira, pois queria mesmo derrubar as garrafas com as mãos, mas logo aprendeu e brincou muito! Ele sempre gostou de bola, garrafa PET e dos personagens, então foi uma mistura boa e bem-vinda.

Estou feliz por compartilhar essa experiência, que saiu quase de graça, tomou somente uma noite para ficar pronta e durou meses de diversão.
Uma dica que uma amiga pedagoga deu foi de encher as garrafas com papel de seda da mesma cor dos personagens!
Outra dica bacana é usar as garrafas para brincar com argolas, como em brincadeiras de Festas Juninas!


Outras idéias que vi e achei bacanas:

Garrafa Pitchulinha pintada

[Fonte]

Com garrafas de iogurte



[Fonte]

Com retalhos de EVA



[Fonte]

Pintados como Minions: arquivo minions



[Fonte]

Kellen Gondo

 

Kellen Gondo é professora, psicóloga, psicanalista. Casada, mãe do Matteo e da Manuela, acredita que a melhor forma de ensinar e aprender, é brincando e se divertindo.